Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Bairros de Embu-Guaçu seguem sem energia elétrica quatro dias após vendaval

Por Blog

Os moradores da cidade de Embu-Guaçu na Grande São Paulo ainda sofrem com efeitos dos fortes ventos que atingiram a cidade na segunda-feira (16). A chuva forte de granizo começou às 16h30 e deixou a cidade em estado devastador.

De acordo com o jornal “Agora”, 200 casas foram destelhadas e 40 pessoas tiveram ferimentos leves.

Os bairros do Sapateiro e Congonhal foram os mais afetados da cidade, que tem 67 mil habitantes e fica a sudoeste da capital.

Cerca de 2.000 moradores, nos bairros de Congonhal, Sapateiro e Filipinho, permanecem sem energia elétrica. A prefeitura informou que ainda não há previsão para a volta da energia.

Segundo a Defesa  Civil, cem famílias seguem desalojadas. “A prefeitura já cadastrou todos os afetados e estão tomando as medidas necessárias para cada família”, disse a prefeitura da cidade em nota.

A estudante Joana Marques, 18, conta que teve sua família dividida: “Me sinto mal, estamos perdidos e sem saber o que fazer, meu irmão foi pra casa da minha tia e eu estou na casa da minha irmã, enquanto minha mãe foi pro serviço do marido dela”.

A brinquedoteca Débora Andrade foi disponibilizada para as famílias se abrigarem. Entretanto os moradores se recusaram a saírem de suas casas com medo de roubos.  “Ninguém quer deixar sua casa, estamos com medo de levarem o que sobrou”, relata a dona de casa Sônia Santos, 30.

A cuidadora de crianças, Maryclaudia Ferreira, 49,  teve sua casa totalmente destruída pela tempestade e está na residência de seu filho, que também teve parte da casa afetada. “Se eu achava que minha situação estava difícil agora está pior. Eu perdi toda minha casa, estou na casa do meu filho que teve que comprar telhas fiado e depois pagar.”

A situação que a cidade ficou fez com que muitos moradores de bairros vizinhos se solidarizassem. Diversos grupos de amigos e instituições religiosas se reuniram e arrecadaram alimentos, roupas, produtos de higiene pessoal e começaram a entregar na noite de quarta-feira (18).

“O que levou a gente a tomar essa atitude foi ver as pessoas sofrerem. Foi o instinto de querer se doar ao próximo tentando fazer aquilo que está ao nosso alcance” relatou o estudante Fábio Bittencourt, 17, voluntário e morador do bairro do Cipó.

Quem também entrou no clima da solidariedade foram os cantores sertanejos da cidade, como as duplas Lucas e Vini e Rafa e Renan. Em prol das vitimas do tornado, oito apresentações serão realizadas entre sexta (20) e domingo (22). A entrada será trocada por um pacote de alimento ou uma peça de roupa.

“Sobre esse evento a ideia é ajudar as pessoas que estão necessitando de algo. Chamamos todos os cantores da cidade e de fora que possam ajudar também e montamos o evento. O Panela Bar cedeu o espaço”, afirmou Thiago Valério, produtor da dupla Luca e Vini.

Estava previsto para este fim de semana a festa de peão de Embu-Guacu, porém o espaço que iria ser utilizado foi devastado. O evento foi adiado para junho.

O prefeito Clodoaldo Leite (PMDB) assinou um decreto que autoriza o saque do FGTS por famílias atingidas pela tempestade. Para isso, é preciso ir até a Secretaria de Assistência Social e solicitar o documento de liberação.

 

A arrecadação de doações é feita na mesma secretaria, que fica na rua Arlete Aparecida de Moraes Lopes, 200. Centro.

Rubens Rodrigues, 22 , é correspondente do Embu-Guaçu
@rubenshuba11
rubensrodrigues.mural@gmail.com

Blogs da Folha