Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Idealizador do projeto Kombi do Rap será condutor da tocha olímpica no ABC

Por Blog

Em contagem regressiva para abertura da Olimpíada do Rio de Janeiro, a tocha chegará ao Grande ABC no próximo sábado (23). Sem esconder a ansiedade e o orgulho por representar a sua quebrada, o rapper Liu Mr será um dos condutores da chama olímpica na região.

Morador de Santo André, ele foi selecionado pela empresa Nissan do Brasil para percorrer cerca de 200 metros com a tocha durante o revezamento no município. O convite foi motivado pelo projeto Kombi do Rap, criado por ele para levar cultura, lazer e informação para jovens da periferia.

Em um percurso por algumas das principais vias da região, Liu Mr levará a chama olímpica da rua Luís Pinto Fláquer até a rua Coronel Fernando Prestes, no centro de Santo André. A previsão é que a tocha chegue no município por volta das 15h.

Grupo de rappers formado por mulheres rimam na  apresentação - Crédito: Arquivo Pessoal
Grupo de rappers formado por mulheres rimam na apresentação – Crédito: Arquivo Pessoal

“É um momento único na minha vida e gratificante esse convite. Mostra que estou no caminho certo pelo trabalho ousado que faço, e fico feliz por levar festa para as periferias”, conta o rapper e produtor musical William Batista, 32, mais conhecido como Liu Mr.

Em 2012, o rapper deu início o projeto Kombi do Rap na cidade de São Caetano do Sul, onde já morou e percorreu por várias praças, ruas e vielas para divulgar os seus shows.

“Por falta de oportunidade, minha e de outros artistas, e por ter dificuldade de expor nossos trabalhos, eu tive a ideia de comprar uma Kombi e os equipamentos de som para criar a Kombi do Rap, o ponto de cultura itinerante do movimento hip hop”, lembra o artista, que também faz teatro e traz apresentações de palhaços, dança e sarau para os seus eventos.

Evento da Kombi do Rap
Evento da Kombi do Rap – Crédito: Arquivo Pessoal

Segundo ele, a Kombi abre espaço para outros artistas e para o público, deixando o microfone aberto para interação. “Teve um show na praça em que um senhor de 60 anos declamou uma poesia. Muitos que estavam presentes ficaram impressionados com a iniciativa dele”, comenta.

Para manter o projeto e os custos da Kombi, Liu criou uma grife de roupas. A “Vato Loco”, nome do seu primeiro CD, é voltada para jovens da periferia e traz grafites ou estampas que lembram a sua música. Além da loja virtual, durante as apresentações são vendidos bonés, camisetas e blusas.

Prestes a completar 13 anos de carreira, o artista já cantou com Rappin Hood e Lackers (Código Fatal). Conciliou também uma oficina de MCs para adolescentes com liberdade assistida no Centro de Crianças e Adolescentes, em Higienópolis. “Muitos jovens aprendem a fazer rima, e isso é um sentimento de missão cumprida. Ver que uma pessoa não está no caminho errado me inspira a ajudar o próximo”, relata Liu.

Com o coletivo que transporta música, entretenimento e arte de rua na Kombi, Liu pretende levar o projeto para outros Estados e mostrar que o rap nacional se mantém vivo nas periferias.

Kátia Flora, 34, é correspondente de São Bernardo do Campo
katiaflora.mural@gmail.com

Blogs da Folha