Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Festa Julina gera renda para moradores e projeto social no Grajaú

Por Blog

A Festa Julina do projeto social Meninos do Brejo, no bairro Jardim Itajaí, distrito do Grajaú, extremo sul de São Paulo, reuniu centenas de pessoas no sábado (23) e domingo (24). Com 18 barracas tradicionais de comidas, bebidas, jogos e brincadeiras, como milho, batata doce, vinho quente, quentão, bingo e correio elegante, o evento serviu para auxiliar no complemento de renda dos moradores, além de ajudar na manutenção do projeto que reúne mais de 80 crianças do bairro.

Para os moradores, a chance de ter um faturamento com barracas em frente à própria casa (alguns, inclusive, usaram a garagem do lar), foi essencial para garantir uma renda extra para finalizar o mês. “Que maravilha! Fui para igreja, voltei, estou em frente da minha casa e ainda ganhei um dinheirinho”, comentou uma moradora enquanto trabalhava vendendo salgados.

Para ser dono de uma barraca na festa julina, o morador precisou dar uma contribuição de R$ 15 por dia, que será revertida em materiais para que os Meninos do Brejo continuem as atividades esportivas no bairro.

X

Também foi destinado ao projeto a metade da renda do pula-pula e da piscina de bolinhas, que custavam R$ 2 e R$ 1 cada cinco minutos, respectivamente. O projeto ainda recebeu todo dinheiro das vendas de cartelas do bingo, que premiava os vencedores com as doações feitas pelos moradores. As cartelas variavam de R$ 0,50 a R$ 5.

Segundo o presidente do projeto social Meninos do Brejo, Ribamar Correia da Silva, com as contribuições dos moradores e a verba que entrou com as brincadeiras, o projeto vai dar novos uniformes para cerca de 50 crianças do bairro.

“Recebemos doações de PlayStation 2, Karaokê, ursinhos de pelúcia, produtos de beleza, e outras coisas que valorizaram a brincadeira e ajudaram nas finanças do projeto”, destacou o presidente.

Essa festa julina no bairro é uma das poucas atividades que auxiliam no orçamento do projeto social, que segue sem apoios do Poder Público e sobrevive apenas com contribuições esporádicas de moradores e comerciantes locais.

Kaique Dalapola, 22, é correspondente do Grajaú
@KaiqueDalapola
kaique.mural@gmail.com

Blogs da Folha