Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Em Embu-Guaçu, políticos rejeitam espaço em horário político no rádio

Por Blog

Em 2 de outubro, os cerca de 52 mil moradores de Embu-Guaçu, na Grande São Paulo, vão às urnas eleger o próximo prefeito e treze vereadores. Desde 26 de agosto, a rádio comunitária Paradise FM da cidade tem espaço de horário eleitoral local, mas só um candidato enviou material.

Apenas Paulinho Corretor (PSTU) aproveitou o espaço para apresentar as propostas. Os outros cinco candidatos não manifestaram interesse. “Nossa campanha não tem apoio de grandes empresários é mais o boca a boca, então aproveitamos todos os recursos, inclusive o horário político”.

Em nota, as assessorias dos candidatos André Ferreira (PSC) e Alexandre Rainha (PMDB)  informaram que estavam com as agendas cheias e não conseguiram gravar as propostas.

O candidato Alexandre Rainha (PMDB), de camisa e de pé, durante campanha
O candidato Alexandre Rainha (PMDB), de camisa e de pé, durante campanha (Divulgação)

Para fazer campanha os candidatos estão usando carros de som, panfletagem com os seus santinhos, além de  contar com militantes que balançam em vias públicas bandeiras de seus respectivos partidos.

O PMDB busca manter o comando da cidade. O atual prefeito, Clodoaldo Leite, apoia Alexandre Rainha, que já foi da oposição, mas mudou de partido após o Solidariedade se aproximar de Clodoaldo. Procurado, Rainha não quis falar sobre suas propostas para a cidade.

Na campanha, a saúde tem aparecido com destaque. “Agendamos consultas e quando chega no dia, elas são canceladas sem aviso. Esperamos um mês pra passar em um clínico e quando chega a data não sabemos se iremos passar”, reclama  a vendedora Luciana Chierotto, 39.

André Ferreira promete melhorar o serviço e comprar mais equipamentos, de modo que os moradores não precisem buscar tratamento em outras cidades.

Eleito vereador em 2012 com 850 votos,  Ferreira criou um projeto de descentralização do agendamento de consultas médicas, priorizando atendimento a idosos, gestantes e pessoas com deficiência.

O candidato André Ferreira (PSC), à esq., e Maurício Hessel
O candidato André Ferreira (PSC), à esq., e Maurício Hessel (Rubens Rodrigues/Folhapress)

A candidata Maria Lúcia (PSB) também vai na mesma linha. “O povo de Embu-Guaçu deve ter um atendimento digno quando mais precisa, que é justamente em um momento de tratamento. Mais do que isso, a prevenção é menos onerosa ao poder público e garante mais qualidade de vida a cada pessoa”, disse em nota a assessoria da candidata.

Lúcia é mulher do ex-prefeito Walter do Posto, que governou a cidade entre 2001 e 2008, e ex-secretária de Assistência Social. Ela ou Maria Conceição (PTC) podem ser a primeira mulher a chefiar Embu.

A cidade também precisa resolver problemas como a falta de empregos locais. “Queria ter oportunidade de trabalhar na cidade, ver ela crescer e se transformar na segurança, transporte e qualidade do asfalto”, diz o estudante Pedro Henrique, 19.

Rubens Rodrigues, 22, é correspondente do Embu Guaçu
rubensrodrigues.mural@gmail.com

Blogs da Folha