Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Jovem de Itaquá se inspira em série de Harry Potter e lança livro

Por Blog

Ele tinha apenas 15 anos quando começou a escrever a trilogia de As Crônicas de Minigan, voltado para o público infanto-juvenil. Todo o enredo do primeiro livro e sua biblioteca mágica surgiu enquanto ia para o curso de inglês.

“Tive a ideia de juntar as tramas dos meus três autores favoritos da época, mas criar uma história que fosse minha com a qualidade que encontrei neles, como a clareza de descrever detalhes da Stephenie Meyer, o enredo atrativo do Rick Riordan e o gênero literário da J.K. Rowling”, conta Vinicius Silva, hoje com 21 anos e morador de Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo.

A literatura fantástica despontou no mercado literário e se tornou o gênero favorito de muitos jovens. Para Vinicius, não foi diferente. Inspirado na saga de Harry Potter, o livro As Crônicas de Minigan e a Biblioteca Mágica, lançado em julho desse ano, conta a história de um garoto de 13 anos que é herdeiro dos poderes do pai, o bruxo Calleb.

Num mundo de fantasia e seres sobrenaturais, Minigan tenta se desvencilhar das armadilhas de seu tio Karcarofhi, que deseja matá-lo para adquirir os poderes que foram protegidos até que Minigan completasse 16 anos e pudesse tomar posse.

“Até criei um mundo paralelo na história chamado de Dimensão Mágica, mas os personagens conhecem o mundo dos humanos. Tanto que o Ministério de Ordem e Magia fica localizado desse lado de cá da realidade”, explica Vinicius.

Apesar de já ter concluído os três livros, o intervalo do primeiro para o segundo foi de um ano, já para o terceiro foi de quatro anos. Vinicius começou a escrever a trilogia ainda no ensino médio e como tinha que trabalhar, seu tempo livre era escasso. Mas ele conseguiu encontrar brechas durante a troca de professores na escola e em outros momentos vagos para se dedicar a escrita. “Essa falta de tempo me atrapalha muito, mas se quero escrever, vou dar um jeito de conciliar”.

Para publicar, também não foi tão simples. “Confesso que escrever um livro é mais fácil do que publicá-lo, existe muita burocracia”. Depois de receber respostas negativas de duas editoras, a terceira aceitou o manuscrito. Mas ainda era preciso desembolsar uma quantia em dinheiro que Vinicius não tinha no momento e por isso a publicação demorou seis anos para acontecer.

“Quando um autor se diz independente é porque ele precisa arcar com tudo que for necessário para publicá-lo e isso inclui a divulgação, mas tive ajuda na revisão dos meus textos que não me cobra nada”, conta.

(3)
Vinicius publica primeiro livro da trilogia seis anos após tê-lo escrito (Foto: Arquivo pessoal)

Depois de publicado, a história da biblioteca mágica vendeu cerca de 100 exemplares físicos e o e-book entrou na lista dos 100 mais vendidos, mas o escritor parou de acompanhar as vendas porque seu foco não é esse.

O livro tem 109 páginas e sua versão física pode ser adquirida pelo site do Clube dos Autores no valor de R$ 24 e a versão digital pela Amazon  por R$ 10.

O segundo livro, As Crônicas de Minigan e a Foice dos Tronos, tem lançamento previsto para 16 de janeiro de 2017 e o terceiro, As Crônicas de Minigan e o Labirinto Perdido, para agosto.

Ao Mural, o autor adianta:  até o fim da trilogia cerca de quinze novos personagens vão surgir. E haverá uma morte.

Jéssica Lima, 24, é correspondente de Itaquaquecetuba
jessicalima.mural@gmail.com

Blogs da Folha