Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade

Mobilização em Guaianases ajuda comerciante a recuperar sebo incendiado na noite de Natal

Por Blog

Por Lucas Veloso – Na véspera de Natal, Ademar Rodrigues Chapin, 53, estava em casa quando recebeu uma ligação. Ao invés do desejo de boas festas, um amigo alertava que sua banca-sebo estava sendo destruída pelo fogo.

“Cheguei com meu filho e encontramos tudo incendiado, com os bombeiros tentando apagar com dificuldade, por conta da quantidade de livros. Perdemos tudo: a banca e a mercadoria”, relembra o comerciante. A suspeita é de ato criminoso, pois um galão de combustível foi encontrado no local.

Apesar do trauma, Seu Ademar, como é conhecido, começou a recuperar seu trabalho graças a uma mobilização do bairro.

Popular por sua mania de expor os produtos no chão, espalhados pela calçada, ele tem a banca há 10 anos no mesmo ponto, ao lado da antiga estação de trem de Guaianases, na zona leste de São Paulo, onde comercializa, vende e troca coisas antigas e livros de literatura.

Poucas horas depois do fogo, uma mobilização dos moradores começou nas redes sociais para ajudá-lo. O início de tudo foi um post da própria filha de Ademar, Cristiane Chapin, no Facebook. “Teremos despesas financeiras pra tentar reestruturar a banca, mas ainda não sabemos quanto e precisaremos repor toda a mercadoria perdida”, dizia um trecho da publicação.

X

Depois da postagem, vizinhos começaram a doar livros, CDs e DVD’s. Houve um morador do bairro que doou a estrutura do guincho para retirar a lataria danificada e substituir pela nova, que estava encostada na casa de Chapin, além das tintas.

O grafiteiro e rapper Adriano Vicentini, 37, o Prodígio, juntamente com o amigo Lucas Messi, foi o responsável pela nova pintura da banca. “O sebo é um ponto de cultura da quebrada. Eu trabalho com cultura. Sou um produtor cultural e fiquei sensibilizado quando vi o Seu Ademar com os olhos cheios de lágrimas pelo local de trabalho queimado”, afirma.

Em uma semana, com mais da metade do acervo recuperado, Chapin é cumprimentando pelos passageiros de ônibus e amigos, além de ter recebido por dia dezenas de mensagens de motivação.

“Eu trabalho assim, falando com todo mundo. Sou um vendedor diferente: faço amizade com a pessoa. Para mim, antes do freguês comprar, a gente cria uma estima. Não sei o nome de todo mundo que me ajudou, mas Deus sabe e vai recompensar”, finaliza.

As doações de livros, revistas, HQs, CDs, DVDs e outros objetos já usados ou novos ainda podem ser feitas. Um show com artistas de rap e poetas está programado para este mês em prol da banca. O sebo fica na Rua Caranaiba, 45 (próximo da Biblioteca Cora Carolina). O telefone é 11-970504190.

Lucas Veloso é correspondente de Guaianases
lucasveloso.mural@gmail.com

SAIBA MAIS:

Com falta de obras sobre Guaianases, professora decide escrever livros sobre o bairro

Artista faz música para combater preconceito e celebrar Guaianases

Projeto registra memória dos moradores de Guaianases

Blogs da Folha