Para driblar crise, confeiteira faz ‘Festa na Caixa’ em Itaquaquecetuba

Por Blog

Chegou aquela data especial e você pensou em dar uma festa, mas está sem dinheiro? A confeiteira Adriana Brizola, 39, investiu numa maneira diferente, com custo menor, para não deixar as comemorações passarem em branco e manter sua clientela em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo.

Em uma caixa decorada, ela organiza tudo o que uma festa tem direito: bolo, refrigerante, chapéu de festa, vela, salgados, doces, taças, champanhe, fotos, pelúcia e descartáveis. A partir de R$ 90, a ‘festa na caixa’, como é conhecida, é ideal para duas ou até cinco pessoas e pode ser realizada no local de trabalho, por um grupo de amigos, familiares ou a dois.

Um dos motivos da ideia foi driblar a crise econômica em 2016. “Muitos clientes deixaram de fazer festa e isso atingiu bastante meu trabalho, foi um ano difícil”, desabafa. Foi pela internet que Adriana tomou conhecimento da possibilidade de uma festa intimista. “Vi um anúncio de uma moça de Minas Gerais sobre a festa na caixa e achei interessante. Testei e deu certo”.

Ela também trabalha com decoração infantil, bolo, doces personalizados e chocolates. A confeiteira sempre gostou de fazer bolos e doces e decidiu usar a atividade para complementar a renda, quando ela e seu marido ficaram desempregados.

X

“Eu tinha 25 anos e comecei a fazer pão de mel e ovos de Páscoa para ajudar nas finanças. Aos poucos fui me aperfeiçoando, fazendo cursos e me apaixonei pela área de confeitaria”, relembra. O marido dela é vigilante e ela conta que há meses em que até consegue ultrapassar os ganhos dele.

Antes, Adriana morava em Guarulhos, na Grande São Paulo, trabalhava em um comércio e usava as encomendas de doces e salgados para complementar o orçamento. Com dois filhos pequenos, ela conta que não tinha tempo para se dedicar a eles e quando engravidou do terceiro, em 2010, decidiu trabalhar em casa e focar apenas na confeitaria.

Há um ano, a família se mudou para Itaquaquecetuba, também na Grande São Paulo, e por meio de um banner em frente a sua casa, em grupos do Facebook e em sua página, ela divulga o trabalho.

No ano passado, depois de ver uma publicação na página de Adriana sobre a festa na caixa, a dona de casa Patrícia Rocha, 35, fez duas encomendas para seus filhos Davi, 5, e Erick, 7. “Eu gosto do diferente e a festa na caixa supriu minha necessidade, pois o preço é razoável e tem a quantidade certa para a minha família de cinco pessoas”, conta.

Na cozinha de sua própria casa, a confeiteira prepara as encomendas e ela mesma faz as entregas. Para este ano, seus planos consistem em conquistar mais clientes na cidade, fazer cursos de aperfeiçoamento e voltar a atender com buffet em domicílio.

“Confeitaria é parte de mim, é o que amo fazer. Ver no rosto das pessoas a satisfação com o resultado do meu trabalho me emociona e me motiva nos momentos de cansaço”, conclui.

Jéssica Lima é correspondente de Itaquaquecetuba

jessicalima.mural@gmail.com