Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Banda guarulhense de crossover se apresenta no primeiro CarnaRock da cidade

Por Blog

No sábado de Carnaval (25/02), a CR13 vai tocar no 1º CarnaRock de Guarulhos, evento que vai trazer apresentações musicais de outras oito bandas, no calçadão da Rua Dom Pedro II, no Centro de Guarulhos, a partir das 14h.

“Participar do CarnaRock será histórico para nós, pois nunca aconteceu um evento dessa magnitude na nossa cidade. Estamos ansiosos e ensaiando muito para isso”,  explica o baixista da banda.

Em abril de 2011, cinco amigos do bairro Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, que mantinham a mesma paixão pelo Crossover thrash, estilo que mistura o Hardcore punk com o thrash metal, resolveram se unir e formar uma banda.

Foi assim que nasceu a CR13 (Cumbica Roots 13), que, apesar de já ter passado por algumas mudanças, agregado novos membros e se despedindo de outros, segue caminhando pelo cenário musical independente da cidade há seis anos.

As letras da CR13 contém criticas sociais e relatos da vida periférica (Foto: Diego Alcântara/Divulgação)

Hoje, formada por Bruno Braga, 31, vocal, Paulo Roberto, 31, guitarra, Everton Pirula, 30, baixo, e Vinícius Nascimento, 31, bateria, a banda leva seu som a diversos espaços, e não se limita a tocar somente em Guarulhos. “Nós tocamos em casas de shows e onde formos chamados, vamos”, explica Pirula.

Autointitulados como “os mendigos de Guarulhos”, trazem composições próprias e realistas, com influências no Trash Metal e no Punk.  Suas letras fazem críticas sociais e, em sua maioria, relatam o cotidiano periférico da cidade, trazendo também questionamentos sobre o comportamento humano.

Em seis anos de estrada, a CR13 já gravou, de maneira independente, três álbuns. O último, Filhos da Escória, classificam como “um trabalho mais maduro, coeso e com uma brutalidade sem precedentes”.

Entre suas maiores conquistas estão shows onde puderam tocar com bandas que sempre ouviram, como Ratos de Porão, Gritando HC e Questions hardcore, antes mesmo de formarem o grupo.

Thalita Monte Santo é correspondente de Guarulhos
thalitamontesanto.mural@gmail.com

Blogs da Folha