Sem desfiles oficiais, Mogi das Cruzes terá carnaval em casarão histórico

Por Blog

Sem desfiles das escolas de samba por conta da crise econômica, a cidade de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, terá em um casarão histórico, os principais grupos da cidade. Ao menos sete blocos participaram entre os 24 e 28 de fevereiro da programaçao de carnaval no Casarão da Mariquinha, com direito a oficinas culturais para as crianças.

Na sexta-feira (24), o grupo Suburbaque se apresenta com o Suburbloco abrindo as festividades às 20h em frente ao Casarão e seguindo pelas ruas do centro da cidade. O grupo se apresenta há 9 anos no carnaval de rua em formato de cortejo de maracatu.

“[O casarão] é um lugar que nos acolheu muito bem e que valoriza a cultura popular. Ali é nossa residência. Além dos ensaios já realizamos oficinas de percussão de maracatu no local”, afirma Nandes Castro, membro do Suburbaque.

O grupo lamenta o cancelamento dos desfiles, mas afirma que a situação dará mais força aos blocos de rua.

“É lamentável o cancelamento da maior festa do povo em nossa cidade e de maneira tão desrespeitosa, em cima da hora, depois de já começados os trabalhos. Mais uma vez é tirado de quem menos tem pra servir diversos tipos de interesse. Por consequência isso dará força aos blocos de rua, que com certeza esse ano serão vários”, ressalta Castro.

Bloco carnavalesco Suburbloco em apresentação em Mogi das Cruzes é uma das atrações de hoje (Éder Veiga/Divulgação )

A prefeitura informou que o cancelamento do desfile na Avenida Cívica ocorreu por conta da crise econômica. Cita que em dois dias de eventos, seriam necessários R$ 1,2 milhão em despesas.

“Temos grandes responsabilidades pela frente e, neste difícil momento da economia, precisamos fazer escolhas, para poder manter em funcionamento equipamentos e serviços essenciais de atendimento à população”, disse o prefeito Marcus Melo.

Outra atração prevista para o fim de semana é o Bloco do Baralho do grupo Jabuticaqui no sábado (25) a partir das 19h.

“O “Baralho” era uma brincadeira antiga no carnaval do Maranhão, onde os negros saiam às ruas salpicados de polvilho e fazendo muita folia. Há alguns anos, a tradição chegou em São Paulo e em Mogi o Jabuticaqui adotou a brincadeira”, conta o grupo.

O Bloco Combuca da Judite, Bloco do Gonzagão, Bloco Zuada do Baralho, Bloco da Caneca e Bloco da Mariquinha também são atrações neste fim de semana.

HISTÓRIA

A associação Casarão Mariquinha foi fundada em 2 de dezembro de 2014, num prédio construído no século 19 e que já abrigou alguns pontos comerciais como o Café Murta em 1918, além de um armazém e uma farmácia.

Atualmente o Casarão é um espaço que recebe diversas atrações culturais dedicados à memória e ao patrimônio da cidade de Mogi das Cruzes. O local funciona de maneira colaborativa pelos membros que auxiliam na manutenção. O nome é uma homenagem a professora Maria de Souza Mello, a Dona Mariquinha, mãe do proprietário do Casarão, João Camargo.

“Considerando que neste ano chegamos à participação de sete blocos, esperamos um carnaval com o olhar para a cidade, com respeito à manutenção da manifestação popular e que contribua com a cena cultural e artística de Mogi e região”, afirma o presidente da Associaçaõ, José Luiz da Silva, o Rabicho.

Sexta (24) – 20h: Suburbloco; Sábado (25) 20h: Jabuticaqui com o Bloco do Baralho; 21h Combuca da Judite; Domingo (26) 15h: Brincadeiras de Carnaval (oficinas infantis de adereços e máscaras); 20h: Bloco do Gonzagão no Domingão; Segunda (27) 20h: Bloco Zuada do Baralho; Terça (28) – Bloco da Caneca e Bloco da Mariquinha. Endereço: Rua Alfredo Cardoso, 2, Largo Bom Jesus – Centro, Mogi das Cruzes. Informações: (11) 3374 1844.

Jéssica Silva é correspondente de Mogi das Cruzes
jessicasuellen.mural@gmail.com

SAIBA MAIS:

Mural indica 15 blocos para curtir o Carnaval 2017 na periferia