Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Roda de samba criada no meio da rua vira evento em Ermelino Matarazzo

Por Blog

“Quem gosta de partido alto, venha conhecer o Samba no Asfalto”. Com este canto, os integrantes de um grupo de Ermelino Mattarazzo, na zona leste, chama os moradores para o evento na praça Benedicto Ramos Rodrigues, todo terceiro domingo do mês.

Hoje com dez integrantes, o Samba no Asfalto realiza rodas de samba e é reconhecida pelos frequentadores como um ponto cultural no bairro.

Segundo os participantes, o grupo foi criado há dez anos como resposta a falta de uma Casa de Cultura e as poucas opções de lazer no bairro. Desde a criação, a situação não mudou e a região ocupa uma das piores posições no Mapa da Desigualdade 2016, da Rede Nossa São Paulo, com a nota 0 no quesito Centros Culturais, Casas e Espaços de Cultura.

A iniciativa surgiu após um convite feito por Afrânio Juventino, 51, mais conhecido como Jhaba, para conhecer uma roda de samba em um bairro vizinho. Foi lá, entre rimas e melodias, que os demais componentes Lucimauro Silva e Diego Oliveira decidiram criar algo parecido.

“Saímos de lá certos de que seria possível fazer na nossa região também. Fomos chamando amigos para participar da iniciativa e pouco a pouco fomos nos fortalecendo”, conta Jhaba.

No repertório, além das músicas autorais que retratam o cotidiano no bairro, há composições que vão do Fundo de Quintal a Zeca Pagodinho, Almir Guinetto, Beth Carvalho, entre outros. Há também espaço para o samba-rock de Seu Jorge e Ben Jor. Em 2013, eles gravaram o clipe oficial.

Para Oliveira, ajustar a vida profissional com o projeto nos fins de semana é um dos desafios de realizar a ação no bairro. “A princípio faríamos quinzenalmente, mas percebemos que não conseguiríamos conciliar”, contou. Ele é motorista, quando não está na percussão.

Em 2009 e 2010, o Samba no Asfalto teve a oportunidade de ampliar as suas atividades, indo além dos eventos culturais, com oficinas gratuitas de percussão, dança artes. cênicas e samba-rock, com o auxílio do Programa VAI, da secretaria municipal de Cultura de São Paulo.

Com a verba, ainda conseguiram gravar um projeto fonográfico que tem algumas cópias disponíveis no acervo do programa VAI e no site.

Um dos objetivos do grupo é a conclusão da gravação do primeiro CD.  “Desta vez de uma maneira mais profissional para venda”, afirma Lucimauro Silva.

Grupo se apresenta aos domingos (Foto: Divulgação)

Hoje, mesmo sem recursos, apenas as aulas de samba-rock são oferecidas a comunidade, por meio de uma parceria firmada com a Paróquia São Francisco de Assis. Toda a segunda-feira, cerca de 40 alunos tem um encontro marcado no salão da igreja que fica na região de Ermelino Matarazzo.

“É satisfatório ver a população se divertindo e aprendendo com as aulas”, diz Mariucha de Souza, responsável pelas aulas e integrante do projeto. “A nossa principal dificuldade no momento tem sido a falta de espaço para comportar a todos”, completa.

Quanto ao show na praça, embora a infraestrutura local não conte com equipamentos como banheiros químicos, bancos e lixeiras, há um palco instalado pelos próprios integrantes, além de sacos de lixo e cadeiras levadas por alguns moradores. Apesar dos improvisos, os organizadores estimam a frequência entre 100 a 150 pessoas durante os eventos.

A prefeitura regional de Ermelino Matarazzo afirmou ter um projeto para a implementação de concha acústica, banheiro, calçamento ecológico, bancos e mesas para a melhor comodidade dos moradores.

Danielle Lobato é correspondente do Itaim Paulista

daniellelobato.mural@gmail.com

Blogs da Folha