‘Moço, eu gosto de zumbi’: Gibiteca em Itaquera reúne HQs para geeks

Por Blog

Domingo, 14h30. Sol a pino na Cohab 2, na zona leste de São Paulo. Dia de churrasco em algumas casas; noutras, reunião familiar. O status, comum em várias periferias, só não é o mesmo na “Okupação Coragem”. Por lá, é dia de juntar os nerds da ZL para jogar Zombicide, ler quadrinhos e mangás e participar de workshops com elementos da cultura geek.

Elisa da Silva Assunção, 7, é um exemplo. Ela chegou até o lugar acompanhada pelo pai. Naquele dia, a maior parte dos presentes era crianças e adolescentes que ocuparam as mesas para ler livros, mas sobretudo jogar com as cartas e dados disponíveis. Ao longo do dia, diversas pessoas, de bebês a idosos, passaram por ali.

“O nosso trabalho sempre foi de formação de público, como biblioteca mesmo”, afirma Fabio Santos, 35, um dos criadores do projeto.

“A gente não costuma fazer atividades que sejam muito grandiosas, muito pretensiosas. Nosso trabalho é aquele de passo a passo, de fazer isso daqui um hábito, de que esses garotos voltem no domingo que vem”, ressalta.

Integrantes e frequentadores do Okupação Cultural Coragem, na Cohab 2, em Itaquera (Lucas Veloso/Folhapress)

A ideia da Gibiteca Balão nasceu em 2013. No ano seguinte, com o apoio do Programa VAI (Valorização de Iniciativas Culturais), Fabio deu início às primeiras atividades na Casa da Memória, no centro de Itaquera. No entanto, após dois anos de encontros, a disponibilidade no espaço foi cancelada por problemas com a administração local.

Neste ano, o projeto passou a ser realizado no espaço da Okupação Cultural Coragem, na Cohab 2, distrito que pertence à Prefeitura Regional de Itaquera. O ambiente foi criado a partir da união de ativistas, que já desenvolviam algumas ações culturais e artísticas na região.

Bianca Alves, 19, é uma das componentes do grupo. Desde pequena, ela se interessava pela cultura nerd, pois assistia em casa desenhos de animes na TV. Com o passar do tempo, percebeu a dificuldade em acessar produtos da cultura geek.

Acervo tem 5.000 HQs, que vão de quadrinhos nacionais a norte-americanos, entre outros (Lucas Veloso/Folhapress)

“Todas as coisas que eu queria ver, ler, tinha que ir pro centro, nas lojas grandes da Liberdade”, afirma. Há alguns anos, ela conheceu e começou frequentar a Gibiteca e foi chamada para compor a equipe do projeto. Atualmente, Bianca é responsável por cuidar dos mangás.

O acervo disponível na Gibiteca, com cerca de 5.000 obras, é composto em grande parte por quadrinhos brasileiros e norte-americanos. Há também HQs adultas que falam de histórias mais dramáticas, da escravidão no Brasil às pessoas que vivem no Oriente Médio, além de terror e aventura.

Gabriel Ian Soares, 10, era uma das crianças mais animadas com os jogos. “É a minha primeira vez aqui. Gosto de cultura nerd. Eu nunca tinha jogado, mas aprendi rápido. Ganhei agora o Left 4 Dead, o jogo que mais gostei. Se minha mãe me trouxer na outra semana, eu venho. Se ela não me trouxer, eu venho só também”, comemora.

A Gibiteca Balão abre aos domingos, das 13h às 19h | gibitecabalao@gmail.com

Lucas Veloso é correspondente de Guaianases
lucasveloso.mural@gmail.com