Escadão em Guaianases homenageia moradora antiga

Por Blog

“Eu só não fiz um bolo para os meninos porque estava sem fermento no dia.” É dessa forma que a Waldomira Ferreira da Silva, 83, gostaria de agradecer pela pintura feita no escadão em frente à sua casa, em Guaianases, na zona leste.

As escadas ficam na estrada Nossa Senhora da Fonte. É ali que a aposentada mora há 50 anos, desde que migrou de Alagoas para São Paulo. “Quando cheguei aqui no bairro não tinha nada: nem luz, nem água. Mas de lá pra cá melhorou bastante”, completa a aposentada.

A ideia de colorir os 77 degraus foi de Todyone, nome artístico do grafiteiro João Belmonte, 34. Ele viu no espaço uma oportunidade de colocar em prática os ensinamentos de spray que oferece para alguns meninos do bairro.

Do rascunho até a pintura, o desenho demorou cerca de duas semanas até a sua conclusão. “A ideia era fazer com caquinhos, mas eu achei que dava para fazer com a cara do lugar, que é o grafite. Dá muito orgulho.”, resume Todyone.

Perto da finalização da obra, enquanto as pessoas usavam as escadas para cruzar as ruas, Waldomira parou ao lado dos meninos e elogiou o trabalho. A aposentada disse que lugar precisava de um nome para ser valorizado, já que, segundo ela, estava abandonado.

X

Dois dias depois da conversa, o local ganhou uma placa metálica artesanal que foi pintada de azul com o nome “Escadaria da Mirinha”, uma homenagem à moradora mais antiga da viela. Além disso, o mato alto foi cortado e o lixo acumulado no local retirado em um mutirão organizado pelos vizinhos.

“Todo mundo que passa aqui fala ‘está ficando importante’, ‘até nas placas você está’, mas eu não fiz nada, não mandei. Os meninos que colocaram. Fiquei feliz”, brinca dona Mirinha, forma como é conhecida no bairro.

Além da pintura em si, uma geladeira foi transformada em biblioteca. A ‘geloteca’ foi colocada na lateral da escada para incentivar a leitura entre as pessoas. Dentro do eletrodoméstico, dezenas de livros estão disponíveis, desde a biografia do bispo Edir Macedo até quadrinhos com desenhos infantis.

O colocador de mármore, José Matheus Duarte, 23, mora em frente à escadaria e diz ter aprovado as mudanças. “Gostei muito. Quem fez está de parabéns”, resumiu, enquanto subia os degraus com a filha Emanuelle Duarte, de 2 meses.

Já para o zelador José Antônio Filho, 52, o desenho ficou bonito, mas além disso, o incentivo à leitura também foi essencial. “Faltam espaços para as crianças ficarem perto de casa. Tinha uma biblioteca aqui perto, mas fechou”, explica.

Até agora, o escadão já recebeu centenas de visitas. “Semana passada vieram uns caras de São Miguel e de Suzano que viram o que a gente fez aqui. Eles gostaram e vieram privilegiar”, relembrou Todyone, que também passou a receber algumas propostas de pinturas depois da repercussão no escadão.

“Os vizinhos são ótimos. Aqui a gente não pode gritar que está com dor de cabeça que você vê a casa encher. Eu me dou muito bem com os vizinhos, por isso, gosto muito daqui. Agora, com a escada no meu nome, ficou mais bonito”, relata, emocionada, a alagoana.

Lucas Veloso é correspondente de Guaianases
lucasveloso.mural@gmail.com