Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Escolas do Itaim Paulista recebem selo de acessibilidade

Por Blog

Por Vander Ramos

No dia 26/3, a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida (Smped), por meio da Comissão Permanente de Acessibilidade (CPA), entregou para 14 escolas municipais de São Paulo o Selo de Acessibilidade 2012.

O selo atesta que os prédios estão adequados para pessoas com deficiência e cumpre as normas especificadas no Decreto Municipal 45.552/2004.

O Mural visitou duas escolas que receberam o atestado no Itaim Paulista, bairro da zona leste da capital.

Na Escola Municipal Eusébio Rocha Filho, construída em 1995, a obra criou rampas de acesso, escadas, refeitório, elevadores e banheiros exclusivos.

Rampas levam os alunos a horta e jardins na escola municipal Cidade Kemel

A diretora Magali Soares dos Santos Ramalho diz que, além da reforma na edificação, foi necessário um trabalho junto aos alunos para ressaltar a importância deste tipo de obra. “As crianças não entendiam, as escadas foram feitas duas vezes por conta de um centímetro. Todas as professoras fizeram um trabalho explicando o que estava acontecendo”, diz.

Os pais dizem que a escola está diferente. “Esta escola é muito boa e agora tem rampas para pessoas que usam cadeiras de rodas, coisa de primeiro mundo”, diz o aposentado Julio Guillian, 78.

Já na escola municipal Cidade Kemel, a sinalização tátil, que serve para avisar as pessoas com deficiência visual quando há obstáculos e quando o caminho é livre, é bem visível na cor amarela.  Lá, só existe um banheiro exclusivo sem separação de sexo.

Escadas sinalizadas para todos os alunos na escola Euzebio Rocha Filho

O diretor Nelson Bueno de Almeida diz que na escola estudam 540 crianças de três anos e meio a seis anos e que foi necessário explicar aos alunos como funciona a sinalização instalada.  “Eles [os alunos] estavam muito curiosos e tivemos que explicar a todos estes desenhos diferentes no chão”, diz Almeida.

Nas duas escolas não estudam alunos que utilizam cadeiras de rodas, somente com dificuldade de locomoção, deficiência mental e visual.

Para a arquiteta Silvana Serafino Cambiaghi, secretária executiva da CPA, à medida que as escolas terminam as reformas de acessibilidade, a comissão faz uma vistoria e, caso atenda as normas técnicas, recebem o Selo de Acessibilidade com validade indeterminada.

Passado quatro meses após a entrega das reformas nas duas escolas, o Mural encontrou vários pisos da sinalização tátil descolando. Na escola Euzébio Rocha Filho, foram encontrado objetos obstruindo o acesso ao bebedouro e banheiro de acessibilidade.

Acesso sinalizadando os elevadores na escola Cidade Kemel

Segundo Cambiaghi, a manutenção fica a cargo de cada escola, mas irá comunicar a empresa responsável para recolocar os pisos. Quanto à obstrução do banheiro, mesmo que temporariamente, houve falha na utilização do local.

A fiscalização para manter o selo de acessibilidade é feita pela CPA, que só age após denúncia.

 

Vander Ramos, 51, é correspondente do Itaim Paulista.
@vander521
vander.mural@gmail.com

Blogs da Folha