Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Tucuruvi ganha teatro com 50 lugares

Por Blog

Por Aline Kátia Melo 

De acordo com levantamento da Rede Nossa São Paulo, a subprefeitura de Santana, na zona norte de São Paulo, concentra apenas 2,14% das salas de teatro da cidade, enquanto o centro tem 50,71% do total

A avenida Guapira, no bairro do Tucuruvi, ganhou uma sala de teatro com capacidade para 50 lugares em abril deste ano, o Piccolo Teatro. A avenida é conhecida por ser via de passagem de ônibus e concentração de estabelecimentos comerciais.

“A grande motivação é proporcionar um espaço para população que necessita de cultura, onde ela possa chegar. O teatro nasceu da manifestação do povo. E é preciso que ele volte para ele”, diz Edson Mendez Andrade, 48, criador do espaço.

As pessoas que conheceram o local também apoiam a ideia. “É importante ter teatro nessa região, que é desprovida de recursos”, diz a atriz e diretora da Companhia Teatral Pel’ Art Michelle Rocha, 28. É a mesma opinião da também atriz Di Monique Novais, 24. “É uma iniciativa bacana. O teatro tem que sair do centro e também ir para os bairros”, comenta.

Entrada do Teatro Piccolo Teatro, no Tucuruvi; espaço tem 50 lugares

Para isso, há vantagens e desvantagens. “A principal dificuldade são os custos com a parte de manutenção. Quanto ao afastamento do centro é até interessante, pois não temos muitos concorrentes”, afirma Edson.

“Não vejo como dificuldade, mas sim como um desafio. Resgatar estímulo à arte em uma região com precariedade na educação. Faltam locais dedicados à cultura no bairro e em toda a zona norte”, completa Michelle.

Sobre os benefícios que o espaço traz para a região, Mendez ressalta:
“toda opção cultural e educativa não traz benefícios só para esse ou aquele bairro. Quem ganha é a população. Pois só através dessas opções é que tornamos a nossa população um pouco mais questionadora. Pois se não temos conhecimento, como questionar o que nos impõem?”.

Michele defende a igualdade de acesso. “Cultura e a educação são direito de todos, não privilégio de alguns. Todos são capazes de assistir ou fazer arte”,

Atualmente está em cartaz a peça “A lenda de Narciso” nas sextas feiras, às 21, até 7 de setembro. Em breve o local oferecerá oficinas de teatro.

Mais informações sobre o teatro: (11) 2387 5419 – 6745-1746.

 

Aline Kátia Melo, 29, é correspondente comunitária da Jova Rural.
@alinekatia
alinekatia.mural@gmail.com

Blogs da Folha