Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escadarias de Mairiporã estão mal conservadas e sem iluminação

Por Blog

Em Mairiporã, cidade da Grande São Paulo  marcada pela grande quantidade de morros, a solução mais simples para economizar tempo e acessar o comércio e os serviços básicos  é passar por uma ou mais escadarias.

Por essa questão geográfica, Mairiporã acumulou durante seu crescimento diversas escadarias: são cerca de 20 somente nos bairros centrais. Entretanto, são locais que chegam a ser evitados pela população, seja pela insegurança ou mesmo pelo medo de cair nos degraus irregulares. Em plena área comercial, os espaços também estão mal preservados.

Principal escadaria de Mairiporã apresenta falta de iluminação
Principal escadaria de Mairiporã apresenta falta de iluminação adequada

Na principal e mais movimentada escadaria da cidade, entre as ruas 15 de Novembro e Dom José Maurício da Rocha, quem passa pelo local em direção ao comércio diz sentir na pele a insegurança, situação que se agrava durante a noite, quando parte do local fica no escuro.

A falta de manutenção dos espaços se repete em outras regiões do centro.

Entre a alameda Tibiriçá e a rua Ipiranga, o desnível entre os degraus na travessa Alcebíades Fagundes incomoda quem passa por lá. Já uma das escadarias que dá acesso ao Jardim Brilha, na região do Capoavinha, é feita de terra, sem nenhuma segurança.

Uma moradora, que não quis se identificar, disse que são os próprios usuários que fazem a manutenção da escada. Ela também reclama da falta de um corrimão na hora de descer. Muitos idosos e crianças passam pelo local.

Escadaria no Jardim Brilha: a ausência de corrimão atrapalha os moradores
Escadaria no Jardim Brilha: moradores cobram corrimão

Nas muitas escadarias do Jardim Fernão Dias, bairro mais populoso do centro da cidade, a situação se repete. Só na rua Jorge Salomão Chamma são pelos menos três escadas que apresentam os mesmos problemas.

Os moradores da rua, que também não quiseram se identificar, reclamam da escuridão, da falta de corrimões e da insegurança durante a noite.

Escadarias entre as ruas Jorge Salomão Chamma e Alzira Ferreira Campos e Belisário Gomes de Almeida e Artur Barbosa de Almeida
Escadarias entre as ruas Jorge Salomão Chamma e Alzira Ferreira Campos e Belisário Gomes de Almeida e Artur Barbosa de Almeida

Na via Artur Barbosa de Almeida uma escadaria praticamente escondida faz a passagem entre a Vila Nova e o Jardim Fernão Dias. Durante a noite, a iluminação vem das casas vizinhas.

Em resposta à reportagem do Mural, a Prefeitura de Mairiporã informou no dia 30 de dezembro que as escadarias mais conhecidas do município recebem limpeza constante da equipe de varrição. Ressaltou, ainda, que planeja implantar corrimãos e iluminação no maior número de escadarias possíveis. O prazo para conclusão dos trabalhos não foi informado.

O órgão também destacou que está realizando um levantamento das vielas do município para que possa urbanizá-las. A prefeitura também solicita que a população colabore com a gestão ao informar possíveis problemas nos espaços.

 

Humberto Müller, 22, é correspondente de Mairiporã
@lagomuller
lagomuller.mural@gmail.com

 

Blogs da Folha