Promessa de Alckmin, reconstrução de estações em Itaquaquecetuba não sai do papel

Às 5h,  antes do sol nascer, a bibliotecária Therezinha Aoki, 57, está a postos na plataforma da estação Aracaré da CPTM, na periferia de Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo.

Ofegante, após descer diversos lances de escada, a funcionária pública lamenta a falta de um elevador na estação. “Tenho dor nas pernas de subir e descer essas escadas. Mas fazer o que, né? A gente se acostuma.”

Porém, na velha parada construída em 1950 pela Estrada de Ferro Central do Brasil, a falta de acessibilidade não se limita apenas às longas escadarias. Os usuários com mobilidade reduzida também sofrem na hora de embarcar nos novos trens, que ficam desnivelados em um degrau em relação à velha plataforma.

Perto dali, na estação Itaquaquecetuba, no centro do município, a situação não é melhor. As telhas da plataforma estão em mau estado de conservação e, em dias de chuva, “cachoeiras” se formam a partir dos diversos buracos.

A Estação de trem de Itaquaquecetuba, que possui “cachoeiras” de água em dias de chuva.
A Estação de trem de Itaquaquecetuba, que possui “cachoeiras” em dias de chuva (Lucas Landin/Folhapress)

Itaquaquecetuba possui três estações de trem da CPTM que servem para ligar a cidade ao Brás, na capital, e aos demais municípios do Alto Tietê. No entanto, as estações Aracaré, Itaquaquecetuba e Engenheiro Manoel Feio são as únicas da linha 12-Safira que não receberam melhorias nos últimos anos.

Em 2013, o governador Geraldo Alckmin esteve na cidade e prometeu que as obras de reconstrução de duas delas seriam licitadas e teriam início no mesmo ano. Todavia, até hoje nada aconteceu.

“Nos sentimos abandonados. Reformaram a estação em Suzano, em Poá, no Itaim [Paulista, zona leste de São Paulo], e aqui nada. A estação é a mesma da época que eu tinha 20 anos, mas a passagem não, ela aumenta todo ano”, conta o funcionário público Adailton José da Silva, 63. “Eu já não acredito mais nas promessas de reforma”, lamenta.

Pelas redes sociais, a população chegou a fazer um abaixo-assinado online para que a CPTM reconstrua as estações.

Procurada, a empresa não se pronunciou.

Lucas Landin, 20, é correspondente de Itaquaquecetuba e Poá
lucaslandin.mural@gmail.com

Comentários

  1. Bom dia a todos !gostaria de saber eu como patriotas brasileiro e contribuído dos meus impostos e contribuições federais e estaduais e municipais. Morador de Itaququecetuba a mais de 2. Década ,a nossa cidade já teve várias promessa,reforma das estações dos trens, um sesi com toda infraestrutura, unir a rodovia Mario covas e av. Radio leste , viaduto fazendo a ligação rodoanel e ailton sena,para melhorar a nossa cidade. São projetos que não saiu do papel, o mais interessante que em todas época de campanha política aparece: vários deputados federais e estaduais e municipais. com as mesmas promessas? Por ser grande São Paulo Itaququecetuba, a pobreza e muito grande, falta de estrutura,como saneamento básico e falta de linhas de ônibus interligados a ferrovia. Tem pólo industrial mais atende as necessidades dos trabalhadores,como fazemos para trabalhar em São Paulo? São tantos outros problemas se fosse ficar relatando,escreveria um livro

  2. A CPTM quando foi assumida pelo Governo de SP do Governo Federal era uma verdadeira sucata. Os trens enferrujados, andavam de portas abertas, janelas quebradas, furos no piso, etc. Nesses anos estações foram reformadas e outras novas foram feitas, trens novos, o sistema está sendo modernizado. A CPTM se integrou gratuitamente com o Metrô e número de passageiros se multiplicou. Se ainda não está perfeita, avançou muito.

Comments are closed.