Obra de piscinão em Cidade Ademar completa três anos de atraso

Diogo Marcondes

Em novembro deste ano, os moradores da rua Rolando Curti, Pranto do Mar e de vias próximas, em Americanópolis, zona sul da capital paulista, enfim, terão um piscinão para chamar de seu. A finalização da obra do terceiro reservatório (RCO-1) na bacia do Córrego do Cordeiro acontecerá cinco anos depois do anúncio da construção, três anos após a primeira previsão de conclusão. Nesse período, três prefeitos administraram a cidade.

Os moradores aguardam ansiosamente o término da obra para que as fortes chuvas não causem mais estrago como nos últimos 30 anos. A finalização dos piscinões nas praças Ligia Maria Salgado Nóbrega (RCO-2) e Aristides de Souza Mendes (RCO-3) ajudaram a minimizar os alagamentos nos últimos dois períodos de chuva, mas não resolveu completamente a situação.

“Quando chove, a gente fica apreensivo. Os outros dois [piscinões] ajudaram bastante, mas com esse aqui ficará melhor”, afirma o mecânico Henrique Chaves Fernandes, 38, morador de Americanópolis desde que nasceu.

Para fugir das enchentes, a população tem até colocado barreiras nos portões que impedem a água de entrar. Quando a chuva é muito forte, isso costuma não funcionar.

A aposentada Sebastiana Gabriela, 70, usou quatro caminhões de terra na fundação de sua casa. Como mora de frente para o córrego (afluente do Cordeiro), ela conta o que seus vizinhos fizeram. “Eles construíram uma laje sob o córrego e a água passa por baixo”, explica.

ATRASOS SEM FIM

Em 2013, sob a gestão de Fernando Haddad (PT), a prefeitura anunciou a construção de seis piscinões nas proximidades do corredor das avenidas Cupecê, Vereador João de Luca, Professor Vicente Rao e Roque Petroni Júnior. A previsão inicial era de que as obras que atenderiam 760 mil moradores, e seriam divididas em duas fases, ficassem prontas até junho de 2015.

O piscinão RCO-1, localizado na rua Álvares Fagundes, estava nesse pacote, mas a obra começou apenas em janeiro de 2015, por conta de problemas na documentação do terreno. A data de finalização foi alterada para dezembro daquele ano, mas três meses depois do início, a obra foi paralisada.

Obras começaram novamente em maio do ano passado (Diogo Marcondes/Agência Mural/ Folhapress)

Segundo a prefeitura, a paralisação aconteceu porque a prioridade era finalizar os dois piscinões que estavam com obras adiantadas na região. “O piscinão 1 continua dentro do programa de obras do Córrego do Cordeiro, mas teve alteração no cronograma”, afirmou a pasta à época.

O RCO-2, na Praça Lígia Maria Salgado Nóbrega, foi inaugurado em junho de 2016. Três meses depois, a prefeitura inaugurou o RCO-3, na Praça Aristides de Souza Mendes.

Com o período de eleições e mudança na administração municipal, a obra só foi reiniciada já na gestão de João Doria (PSDB), em maio do ano passado. A previsão, dessa vez, era de que fosse concluída em abril de 2018, mas, devido a atrasos, a entrega foi postergada novamente.

“Os trabalhos estão previstos para serem concluídos em outubro”, esclarece, em nota, a Secretaria Municipal de Serviços e Obras (SMSO), agora sob o comando do prefeito Bruno Covas (PSDB). A placa em frente à construção, porém, teve a data alterada. Tudo deve ficar pronto no dia 30 de novembro. O custo total dessa primeira fase é de R$ 175,28 milhões.

Diogo Marcondes é correspondente de Cidade Ademar
diogo.mural@gmail.com


SAIBA MAIS:

– Entrega de piscinão na zona sul leva esperança a moradores
– Piscinões vão de abandono a solução na capital e Grande SP
– Terceiro piscinão começa a ser construído em Cidade Ademar
– Moradores da zona sul reclamam de constantes enchentes na região

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *